(Ab)uso de Opioides: Novas Guidelines

14 abr

nebanner_house

“Estou entediado. Não aguento mais esse negócio de Sepse Wars.”

Qual foi, House? Vimos que a sepse mata muito no Brasil e no mundo!

house

“Eu ganho pontos extras se fingir que me importo?”

 

Bem…você deve ter ficado sabendo então que estão querendo restringir sua hidroxicodona e inúmeros outros opioides. E olha que não é nenhuma armação do Wilson ou da Cuddy!

No último mês de março saíram as novas recomendações do Centers for Disease Control (CDC) sobre o uso de opioides no JAMA – Journal of the American Medical Association [1]. Os Estados Unidos estão sofrendo uma epidemia de abuso de opioides, com impactos diretos na saúde pública. Um report de 2011 da American Society of Interventional Pain Physicians revela que os EUA consomem 80% do estoque mundial de opioides e são 99% do mercado de hidroxicodona [2].  O problema é tão grave que, em 2014, foi discutida e aprovada a distribuição de kits de naloxone (um antagonista de opioides) para leigos visando a sua administração precoce, quando uma parada cardíaca por overdose é suspeitada. Isso inclusive entrou nos algoritmos do Suporte Básico de Vida (BLS) da American Heart Association em 2015! [3-4]

No Brasil, dados de 2005 sugerem que 1.3% da população nacional faça uso de opioides, em sua maioria mulheres. A incidência de heroína representa 0.09% e de xaropes de codeína, 1.9% [5], o que transforma o Brasil no maior consumidor de opioides da América do Sul [6]. Entre os médicos esse uso é mais preocupante, com números sugerindo que 4% usam de maneira nociva e que 22.7% sejam dependentes [7-8].

Essas guidelines do CDC foram feitas para profissionais de atenção primária a nível ambulatorial visando à abordagem da dor crônica. Ela não leva em consideração pacientes em tratamento para neoplasias ou cuidados paliativos. Os autores deixaram bem claro que, embora ela também possa ser usada para guiar a conduta em unidades de tratamento intensivo e departamentos de emergência, esses ambientes não são o foco dessa diretriz.

Você pode conferir as 12 recomendações aqui, nesse artigo disponibilizado gratuitamente pelo JAMA.

Como podemos ver, embora a maioria das recomendações seja grau A, a qualidade das evidências disponíveis é baixíssima (apenas uma é nível 2). Os autores reconhecem que mais estudos de alta qualidade precisam ser conduzidos para podermos traçar a melhor conduta para nossos pacientes, mas o problema de saúde pública é tão urgente que, segundo eles, justifica o uso do grau A ou B nas recomendações.

Dizem que os opioides são parte intrínseca da cultura norte-americana [9], ganhando comerciais relacionados a seus efeitos colaterais em SuperBowls [10] e inclusive atenção na cultura pop, não é mesmo House? Para reforçar essa visão, os editores do JAMA fizeram no Spotify® uma lista de músicas que abordam/discutem o uso e abuso de opioides [11]. Você pode conferir James Brown, U2, System of a Down, entre outros!

E aí House? You can’t always get what you want, né?

house_gif

“Eu me importei por oito segundos, depois me distraí.”

Referência bibliográficas:
[1] – Dowell D, Haegerich TM, Chou R. CDC Guideline for Prescribing Opioids for Chronic Pain—United States, 2016. AMA. Published online March 15, 2016. doi:10.1001/jama.2016.1464
[2] – The American Society of Interventional Pain Physicians (ASIPP) Fact Sheet  https://www.asipp.org/documents/ASIPPFactSheet101111.pdf
[3] – Wheeler E, Jones TS, et al. Opioid Overdose Prevention Programs Providing Naloxone to Laypersons — United States, 2014. MMWR. June 19, 2015 / 64(23);631-635
[4] –  AHA 2015. Highlights of the 2015 American Heart Association Guidelines Update for CPR and ECC. https://eccguidelines.heart.org/wp-content/uploads/2015/10/2015-AHA-Guidelines-Highlights-English.pdf
[5] – Carlini EA, Galduroz JCE, Noto AR, Nappo AS. II levantamento domiciliar sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil: estudo envolvendo as 108 maiores cidades do país, 2005.
[6] – Baltieri DA, Strain EC, Dias JC, Scivoletto S, Malbergier A, Nicastri S, et al. Diretrizes para o tratamento de pacientes com síndrome de dependência de opioides no Brasil. Rev Bras Psiquiatr 2004;26:259-69.
[7] – Alves HNP, Surjan JC, NogueiraMartins LA, Marques ACP, Ramos SP, Laranjeira RR. Perfil clínico e demográfico de médicos com dependência química. Rev Assoc Med Bras 2005;51:139-43.
[8] – Bicca C, Ramos FLP, e cols. Abuso e Dependência dos Opioides e Opiáceos. Projeto Diretrizes. AMB 2012.
[9] – “A Brief History of Opioids”. The Atlantic. – http://www.theatlantic.com/sponsored/purdue-health/a-brief-history-of-opioids/184/
[10] – “This Super Bowl ad proved just how much america loves opiod painkillers”. Washington Post – https://www.washingtonpost.com/news/wonk/wp/2016/02/08/this-super-bowl-ad-proved-just-how-much-america-loves-its-opioid-painkillers/
[11] – Opioids Playlist – https://play.spotify.com/user/jamanetwork/playlist/7rNzilGpgRw31syXPNiK4E?play=true&utm_source=open.spotify.com&utm_medium=open

Colegas da Academia Médica traduziram as 12 Recomendações pro bom e velho português! Dê uma olhada! 

Seus amigos estão de olho nessa novidade tão importante?

house_promo_png

Come on, get happy! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *